Menu

Energia nuclear é usada
em muitos lugares do planeta

Energia nuclear no México: usinas nucleares no México

Energia nuclear no México: usinas nucleares no México

O México é um país rico em recursos de hidrocarbonetos e exportador líquido de energia. O país tem interesse na energia nuclear para reduzir a dependência de fontes não renováveis ​​de energia, principalmente o gás natural.

O crescimento da energia foi muito rápido na década de 1990, mas depois se estabilizou por alguns anos. Desde 2007, esperava-se um novo crescimento da demanda de energia elétrica a uma taxa média de quase 6% ao ano. 

Em 2016, o México gerou 20% de sua energia elétrica por meio de fontes limpas (energias renováveis ​​e energia atômica). O México estima que sua capacidade de geração de eletricidade aumentará 7,5% em 2025 em relação a 2012.

As principais fontes de energia no México são:

  • Gás natural

  • Carvão.

  • Poder hidráulico.

  • A energia nuclear.

A Constituição mexicana estabelece que a energia nuclear só pode ser utilizada para fins pacíficos e isso é reiterado na Lei de 1984 sobre atividades nucleares.

O México ratificou o Tratado de Não Proliferação Nuclear em 1969 e o Protocolo Adicional em 2004.

Usinas nucleares no México

O México tem uma única usina nuclear com dois reatores nucleares. A usina nuclear que está operando atualmente no México é a usina nuclear Laguna Verde (Veracruz). A fábrica está localizada no município de Alto Lucero de Gutiérrez Barrios.

Laguna Verde produz cerca de 4,8% das necessidades nacionais de energia do México. Os dois reatores são reatores de água fervente (BWR) do tipo BWR-5, com capacidade instalada de 654 MWe cada.

{centrais}

A Federal Electricity Commission (CFE) controla e administra a usina nuclear mexicana. A CFE é a empresa nacional de eletricidade de propriedade do governo mexicano.

Como está organizada a indústria nuclear mexicana?

Em 1956 nasceu a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN). Esta organização assumiu a responsabilidade por todas as atividades relacionadas à energia nuclear no México, com duas exceções:

A Comissão Federal de Eletricidade (CFE), uma das duas empresas estatais de eletricidade, assumiu o papel de geradora nuclear no futuro.

Investigações preliminares para identificar possíveis locais para usinas nucleares foram iniciadas em 1966 pela CNEN e CFE e em 1969 pela CFE.

A decisão de construir a primeira usina nuclear para geração de energia elétrica foi tomada em 1972. Quatro anos depois, teve início a construção da usina nuclear Laguna Verde. A usina tem dois reatores nucleares de água fervente de 654 MWe (BWR).

A CNEN foi posteriormente transformada no Instituto Nacional de Energia Nuclear (INEN), que por sua vez foi dividido em 1979 em:

  • Instituto Nacional de Pesquisa Nuclear (ININ)

  • Urânio mexicano (Uramex). O Ministério da Energia assumiu as funções da Uramex em 1985.

  • Comissão Nacional de Segurança e Salvaguardas Nucleares (CNSNS).

Previsão de geração de eletricidade no México

Em maio de 2010, o CFE tinha quatro cenários para a criação de 4 novas usinas de geração de energia nuclear entre 2019 e 2028.

No cenário mais agressivo do CFE, pretende-se construir até dez usinas nucleares. O objetivo é construir essas usinas de forma que a energia nuclear possa suprir quase um quarto das necessidades de energia do México até 2028.

No longo prazo, espera-se que o México use pequenos reatores nucleares, como o IRIS, para fornecer energia e dessalinizar a água do mar para uso agrícola.

Em 2019, segundo a Forbes México , a Comissão Federal de Eletricidade (CFE) estava avaliando a construção de mais quatro reatores nucleares no México de 1.400 MegaWatts (MW) cada. Dois dos reatores seriam instalados na usina Laguna Verde (Veracruz) e os outros dois na costa do Pacífico.

O investimento inicial seria de 7.000 milhões de dólares (mdd) cada unidade com vida útil de 60 anos.

Ciclo de combustível nuclear

Desde a aquisição da Uramex, o Ministério da Energia é responsável pela prospecção de urânio, que delegou ao Conselho de Recursos Minerais. O México identificou reservas de cerca de 2.000 toneladas de urânio que ainda não foram exploradas.

Uma estação de tratamento de urânio funcionava em caráter experimental em Villa Aldana, na região de Chihuahua, no final dos anos 1960, mas agora foi fechada. Os resíduos nucleares dessa usina são destinados atualmente a Peña Blanca.

Gestão de resíduos radioativos no México

O governo mexicano, por meio da Secretaria de Energia, é responsável pelo armazenamento e descarte de combustíveis nucleares e resíduos radioativos, independentemente de sua origem.

Em Piedrera, entre 1985 e 1987, funcionou um local próximo à superfície para resíduos nucleares de baixo nível. Existe atualmente um centro de armazenamento e tratamento de resíduos nucleares em Maquixco desde 1972.

Pesquisa e desenvolvimento de energia nuclear no México

A principal organização de pesquisa nuclear no México é o Instituto Nacional de Pesquisa Nuclear (NNRI). O NNRI opera um reator de pesquisa nuclear de 1000 kW Mc TRIGA III desde novembro de 1968.

Em 1995, foi assinado um acordo de cooperação nuclear entre o México e o Canadá para a troca de informações. Está também prevista a transferência de material, equipamento e tecnologia nuclear e a prestação de assistência técnica.

Autor:

Data de publicação: 8 de agosto de 2011
Última revisão: 13 de dezembro de 2021