Usina Nuclear Isar, Alemanha

Piscina de combustível nuclear usado

Turbina de uma usina nuclear

Usina nuclear de Vandellós I

Usina nuclear de Vandellós I

A usina nuclear Vandellós I é uma usina nuclear a gás grafite que começou a operar em 1972. Ela fazia parte do grupo de usinas nucleares de primeira geração na Espanha, formado pela usina nuclear Zorita, Santa Mª de Garoña e a usina nuclear Vandellós I. Era de propriedade da empresa hispano-francesa HIFRENSA (Hispano-Francesa de Eletricidade).

A usina nuclear tinha 480 megawatts (MW) de energia. Até agora, as usinas nucleares espanholas eram refrigeradas e moderadas pela água. A planta de Vandellós, por outro lado, foi resfriada por gás e sua reação nuclear foi moderada por grafite. Este sistema representaria desvantagens significativas no tratamento de resíduos e proliferação nuclear.

No combustível nuclear usado havia plutônio que poderia ser extraído para uso militar. Além disso, a grafite não radioactivo pode ser realizada El Cabril para controlá-lo como um resíduo de baixa actividade médio e, porque contém carbono-14 com uma semi-vida que excede o máximo permitido em armazenagem resíduos nucleares El Cabril sobre 5000 anos Está atualmente na própria fábrica.

Encerramento e desmantelamento da central nuclear

O ano de 1990 foi encerrado definitivamente por causa do incêndio que a usina nuclear de Vandellós I sofreu em outubro de 1989.

Os dois primeiros níveis de desmantelamento já foram realizados:

A fase preliminar ou nível eu desmantelamento foi conduzido por HIFRENSA, a companhia que possui a central nuclear I. Esta fase incluiu a descarga do reactor e de combustível de ventilação (tarefas concluído em 1994), e condicionado dos resíduos de operação e da extração e pré-condicionamento dos resíduos depositados nos silos de grafite.

O combustível nuclear usado foi levado para a França para ser reprocessado e depositado no depósito de lixo nuclear que a empresa estatal francesa AREVA possui em La Hague (Normandia). O contrato assinado com o governo francês estabelece que a Espanha terá que tomar conta desses resíduos a partir de 31 de dezembro de 2010, caso contrário, será penalizado com 60.000 euros por dia. Esta é a razão pela qual se especula que os resíduos nucleares da central nuclear de Vandellós I possam ser devolvidos por trem no final deste ano.

No nível 2 desmantelamento da central nuclear I, era de desmontar e demolição de edifícios e sistemas de plantas, excepto a caixa de reactor, o qual deve permanecer confinadas ao nível seguinte.

Desmantelamento do edifício da central nuclear de Vandellós I

A partir daqui temos que esperar 25 anos, com o objetivo de que a radioatividade dentro do caixão caia para níveis que facilitem seu desmantelamento total com o mínimo custo radiológico. Será então quando a sua localização for finalmente lançada.

Em Janeiro de 1998, o antigo Ministério da Indústria e Energia (MINER) autorizou a execução das actividades de desmantelamento da central nuclear de Vandellós I e a transferência da sua propriedade para a HIFRENSA, assim que o processo de desmantelamento estivesse terminado.

Entre fevereiro de 1998 e fevereiro de 1999, as tarefas de condicionamento do local para o desmantelamento em zonas radiológicas foram realizadas e equipamentos e estruturas convencionais foram desmontados.

De 1999 até junho de 2003, os materiais convencionais foram separados dos rejeitos radioativos, garantindo a total descontaminação das estruturas. Os resíduos de baixa e média atividade foram enviados para o centro de armazenamento El Cabril.

Durante esse período, mais de 80% do local foi lançado, e cerca de 300.000 toneladas de materiais foram classificadas, das quais menos de 2.000 toneladas foram condicionadas como Desperdício Nuclear de Baixa e Média Atividade (RBMA).

O nível 3 começará em torno do ano 2027, quando o período de latência de 25 anos tiver passado. Nesta fase, a gaveta do reator será desmontada, liberando completamente o local que será novamente propriedade da HIFRENSA.

Tipo de reactorGCR
Rede sem fio1972-05-06
ProprietárioHispano-Francesa De Energia Nuclear, S.A.
OperadorHispano-Francesa De Energia Nuclear, S.A.
PaísEspanha
ÁreaL'Hospitalet de L'Infant (Tarragona)
valoración: 3 - votos 1

Última revisão: 23 de novembro de 2018

As centrais nucleares em Espanha